Capítulo 13




TAO TE CHING
O Livro do Caminho e da Virtude
Lao Tse, o Mestre do Tao


Interpretação de Janine Milward
A tradução dos Capítulos do Tao Te Ching foi realizada por Wu Jyh Cherng,
do chinês para o português
e foi primeiramente publicada pela Editora Ursa Maior
e hoje é publicada pela Editora Mauad, São Paulo.

Na Editora Mauad, São Paulo, Brasil,
encontra-se a realização da publicação
das interpretações de Wu Jyh Cherng
acerca os 81 Capítulos da obra máxima de Lao Tse, o Tao Te Ching


Capítulo 13

O prestígio e a humilhação geram susto
A nobreza e a grande preocupação situam-se no corpo

O que são prestígio e humilhação?
Prestígio é inferior
Ao obtê-lo ficamos assustados
Ao perdê-lo ficamos assustados
Isto é o que quer dizer “o prestígio e a humilhação geram susto”
O que quer dizer “a nobreza e a grande preocupação situam-se no corpo” ?
A razão de eu ter esta “grande preocupação” é ter um corpo
Se não tivesse um corpo
Com que teria que me preocupar?

Por isso
Nobre é aquele que entrega o corpo ao mundo
A este o mundo pode se entregar
Quem ama faz do mundo o seu corpo
Neste o mundo pode confiar



Interpretação
Janine Milward


Neste Capítulo, Lao Tse nos conduz à compreensão da questão mais importante da vida: o corpo físico encarnado e a transmutação desse corpo em Corpo de Luz. Para tanto, ele vai desenvolver conceitos fundamentais que falam da vida objetiva mundana: a nobreza, o prestígio, a humilhação, o susto, a grande preocupação.

O prestígio e a humilhação geram susto
A nobreza e a grande preocupação situam-se no corpo
.....................
A razão de eu ter esta "grande preocupação" é ter um corpo
Se não tivesse um corpo com que teria que me preocupar?

Ao mesmo tempo, o Mestre vai nos levar à compreensão da verdadeira importância da vida subjetiva espiritual onde esses conceitos não têm valor, onde 'nobre' é aquele que se torna mestre em viver sua vida fusionada ao Tao, O Caminho, e ao Te, A Virtude.

Nobre é aquele que entrega o corpo ao mundo
......................

Lao Tse começa nos falando do Te, A Virtude. A Virtude são as questões que a vida no mundo nos oferece para serem vivenciadas e solucionadas. A Virtude nos fala, então, da boa forma em que estas questões podem ser vividas e agidas. É através da Virtude, Te, que o homem pode trilhar seu Caminho rumo ao seu Tao e tornar-se Homem Sagrado.

É interessante que Lao Tse vai, ele mesmo e literalmente, nos explicando ao longo das três primeiras estrofes, sobre questões fundamentais da vida na encarnação: prestígio, humilhação, susto, corpo, mundo.

Num primeiro momento, Lao Tse vai estar falando do Mundo da Manifestação e num segundo momento, já na última estrofe, vai estar falando do Mundo da Não-Manifestação. É preciso não nos esquecermos que o mundo manifestado nasce a partir do mundo não-manifestado que é, por sua vez, uma expressão do desejo realizado advindo da Suprema Consciência, do Tao da Criação.

Dentro desse enfoque, no Mundo na Manifestação, quando o homem está distanciado de sua espiritualidade e da consciência em relação ao seu Caminho da Iluminação, o mundo se resume em seu corpo, em sua encarnação, e em sua obtenção de prestígio. No entanto, para se obter este prestígio - que Lao Tse vai caracterizar como "inferior" - e ao mesmo tempo conservá-lo durante toda sua vida, o homem acaba se desviando mais e mais do seu Caminho, de seu Tao, e de sua Virtude, seu Te. E também o homem fica todo o tempo à mercê do susto e da possível humilhação.

Prestígio é inferior
Ao obtê-lo ficamos assustados
Ao perdê-lo ficamos assustados
Quando alguma questão acaba por detonar este prestígio, vem então a humilhação.
Isto é o que quer dizer "o prestígio e a humilhação geram susto"

Desta forma, a vida do homem acaba girando apenas em torno de sua ânsia de pretensa nobreza e prestígio e da humilhação e do susto, a grande preocupação.

O que quer dizer "a nobreza e a grande preocupação situam-se no corpo"?

Assim, Lao Tse encerra essas três primeiras estrofes nos oferecendo a ponte para a compreensão da pouca significação que realmente possuem as questões: prestígio e nobreza, susto e humilhação, a grande preocupação e o corpo. Essa "ponte" é introduzida nesses últimos versos da terceira estrofe:

A razão de eu ter esta "grande preocupação" é ter um corpo
Se não tivesse um corpo com que teria que me preocupar?

Na última estrofe, Lao Tse se arremete ao Tao, O Caminho, e passa a nos revelar a definição dos conceitos verdadeiros de nobreza" e "corpo" dentro do escopo do Mundo da Não-Manifestação.... e então, passa a nos explicar qual é o verdadeiro significado dessas questões:

Por isso,
Nobre é aquele que entrega o corpo ao mundo
A este o mundo pode se entregar
Quem ama faz do mundo o seu corpo
Neste o mundo pode confiar.

A nobreza aqui mencionada juntamente com a idéia da entrega do corpo ao mundo querem significar o homem que passa a expandir sua consciência, sua mente, e começa a trilhar seu caminho de espiritualidade, seu Caminho da Iluminação e posteriormente, seu Caminho da Liberação ou Imortalidade.

A compreensão de que estamos encarnados tão somente para trilharmos nossos Caminhos de Iluminação e de Liberação é aquilo que pode nos conferir o verdadeiro título de 'nobre'.

Por isso,
Nobre é aquele que entrega o corpo ao mundo

"Entregar o corpo ao mundo" significa trabalhar a Alquimia do Caldeirão, ou seja, quando o Homem Sagrado já atingiu sua Iluminação e se colocou no Caminho da Liberação ou Imortalidade, seu corpo passa a ser trabalhado alquimicamente e espiritualmente para ser transformado em Corpo de Luz, a verdadeira nobreza.

Para tanto, é preciso se abrir mão do próprio corpo encarnado no sentido de viver a vida simplesmente buscando prestígio e nobreza superficiais e mundanos, encontrando a humilhação, o susto - a grande preocupação.

Quando o Homem Sagrado consegue realizar em si mesmo o Tao e o Te, o Caminho e a Virtude, ele vive o Mundo da Manifestação, sim, porém de forma diferenciada, porque vive seu corpo encarnado no sentido amplo e pleno de usá-lo a serviço do Mundo da Não-Manifestação, espiritualmente, de ter total controle sobre suas ações e suas ações são sempre no sentido de também poder encaminhar os outros homens à compreensão de seus Caminhos de Iluminação e de Liberação.

Por isto, Lao Tse nos afirma que no momento em que nos dispusermos a trabalhar nosso corpo encarnado e alcançar a Alquimia do Caldeirão e nos fusionar com o Tao do Céu e da Terra, nos tornamos Mestres ou Homens Sagrados, realizando em nós a fusão plena entre o Mundo da Manifestação e o Mundo da Não-Manifestação.

O Mestre - ou Homem Sagrado - é aquele que realizou em si mesmo o Tao e O Te, O Caminho e A Virtude. A partir disso, então, surge o verdadeiro Amor, aquele amor expressado pelo Tao da Criação, pela Suprema Consciência em realização de seu desejo de concretização, através do Mundo da Manifestação, de seu Mundo da Não-Manifestação, O Absoluto.

Por isso,
Nobre é aquele que entrega o corpo ao mundo
A este o mundo pode se entregar
Quem ama faz do mundo o seu corpo
Neste o mundo pode confiar
.........................


TAO TE CHING
O Livro do Caminho e da Virtude
Lao Tse, o Mestre do Tao

Capítulo 13

Interpretação de Janine Milward

A tradução dos Capítulos do Tao Te Ching foi realizada por Wu Jyh Cherng,
do chinês para o português
e foi primeiramente publicada pela Editora Ursa Maior
e hoje é publicada pela Editora Mauad, São Paulo.
Na Editora Mauad, São Paulo, Brasil,
encontra-se  a realização da publicação
das interpretações de Wu Jyh Cherng
acerca os 81 Capítulos da obra máxima de Lao Tse, o Tao Te Ching


A ponte bucólica e impressionista é uma foto realizada no Sítio das Estrelas, por Janine Milward